• Turminha da Segurança

SICRIDE

18/08/2016

PR já teve 100 casos de crianças sumidas em 2016; projeto na RMC tenta diminuir o número

Cem crianças desapareceram no Paraná em 2016. Todas elas foram encontradas - duas delas sem vida -, mas os números são alarmantes. Com o objetivo de reduzir esses casos de desaparecimento e rapto de crianças entre 5 e 11 anos na Grande Curitiba, o Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride), da Polícia Civil, está visitando escolas da capital e da Região Metropolitana . O Projeto “Criança em Alerta” realiza, desde abril, um trabalho de conscientização sobre os riscos de contato com estranhos.

O programa já passou por diversos bairros de Curitiba, entre eles Sítio Cercado, Santa Felicidade e São Brás. Nas palestras, a equipe de policiais e um psicólogo apresenta vídeos que apontam cenários de risco aos alunos.

Neste ano, cem crianças foram levadas de suas famílias no estado. Segundo o Sicride, todas foram localizadas. Nesta semana, duas sumiram e já foram localizadas, uma em Ponta Grossa e uma em União da Vitória.

Para evitar o rapto, é preciso que tanto a escola como a família eduquem e estejam de olho nas crianças. A delegada do Sicride, Iara Dechiche, alerta que os pais devem evitar deixar os filhos sem supervisão. “Quando precisar sair sem a criança, peça para que o vizinho esteja presente. Se a família vive nas regiões mais tranquilas, onde é possível brincar na rua, deixe sempre alguém responsável cuidando”, explica a delegada.

Outra situação que pode apresentar risco é o uso não supervisionado de tablets, celulares e computadores. Segundo Iara, esses aparelhos criam uma sensação de falsa segurança nos pais, pois é possível que, mesmo em casa, a criança esteja se comunicando com um suspeito.

A delegada faz um apelo aos pais e responsáveis para que conversem com os filhos sobre os estranhos. “Orientem para que as crianças não aceitem nada de estranhos, evitem o contato com quem esteja fora do círculo social. E para que, em nenhuma hipótese, entrem em carros desconhecidos porque alguém ofereceu um presente”, alerta.

Quem vive em regiões ribeirinhas ou perto de rios deve ter cuidado. “O perigo é ainda maior nessas áreas, pois a água atrai os pequenos e eles acabam se afogando”, afirma a delegada. Ela relata que em muitas investigações as crianças são encontradas sem vida nos rios.

Iara destaca ainda que é preciso ter atenção às crianças “mais velhas” e aos adolescentes que saem com os amigos sem um adulto e podem cair em alguma armadilha.

Quem presenciar uma situação suspeita, com uma criança acuada e aparentemente assustada é orientado para que se comunique imediatamente à Polícia Militar ou à Guarda Municipal. O telefone da Polícia Militar é o 190 e o da Guarda Municipal é o 153.

Outra dica para os pais é fazer a carteira de identidade da criança logo ainda quando pequena para facilitar a busca nesses casos extremos. A primeira via do RG é gratuita.

Não existe prazo para comunicar o desaparecimento

Se a criança desaparecer ou fugir de casa, é preciso acionar a polícia – não existe prazo para comunicar o desaparecimento.

É possível que a criança retorne ao local onde foi visto pela última vez, então peça para que alguém fique lá. Fique com o celular/telefone por perto para caso alguém que encontre a criança tente entrar em contato. Não se esqueça de avisar todos os amigos e parentes próximos do ocorrido e de ir aos locais onde o pequeno gosta de visitar com uma foto, caso tenha alguém para perguntar sobre a criança.

Fique de olho! Algumas dicas podem ajudar a evitar os desaparecimentos

1 - Nos passeios, fique de olho nas crianças e atente para as roupas que vestem. Identifique-as com cartões contendo nome próprio e dos pais, endereço e telefone. Ensine-as a usar o telefone e o número de casa e de outros três parentes.

2- Conheça os amigos do seu filho, assim como os pais e onde moram.

3- Avise a escola quem está liberado a pegar a criança. Não deixe elas irem ou voltarem sozinhas.

4- Converse com o seu filho para saber sobre a vida dele e observe se há variação de comportamento.

5 - Muitos casos de desaparecimento ocorrem quando os responsáveis deixam as crianças com pessoas desconhecidas. Não faça isso, nem mesmo por um breve período.

6 -Oriente para que os filhos não se afastem de sua presença e que, se tiverem perdidos, procurem uma viatura policial, ou um policial fardado (PM ou Guarda Municipal).

7- Caso perca a criança de vista, peça ajuda aos outros para procurá-la e avise a polícia.

Veja vídeo feito com dicas para evitar desaparecimentos:






Fonte: Gazeta do Povo

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.